» » Alma de poeta

Alma de poeta


Minha alma de poeta

Procura um mundo
Que não me inquieta…

Minha alma de poeta
Margeia nuances
Que aproximam
Eloquências e cadencias

Navega nas ondas errantes
Das emoções que enlevam
E elevam

Que ora trazem um sorriso
Com uma lágrima no canto
Dos olhos escondida…

Ora me direcionam
Para todos os lugares…
Ora para lugar nenhum
Sem um ponto de partida

Aproxima-se de instintos
Trazendo todas as cores
Sensíveis labirintos
Do que sinto…

Minha alma de poeta
É irrequieta…
Sonhadora
De fases, contrastes.
Não sabe ficar quieta.

Repousa nas pradarias dos campos
E ousa renascer a cada dia…
Só conhece ousadia…
E anoitece magia…