» » A Timidez

A Timidez


Boca seca, tremedeira, o coração batendo feito louco, aquela sensação de tontura e um medo enorme. São os sintomas da imensa ansiedade que toma conta do tímido sempre que ele se depara com uma situação desconfortável. Ter que encarar o chefe, ir àquela festinha em que não conhece quase ninguém, se apresentar bem diante de um grupo. Adrenalina a mil, ele não sabe o que fazer, e parece que tudo o que faz ou diz é inadequado.

Afinal, para o tímido, prevalece o sentimento de ser socialmente pouco hábil, motivo mais do que suficiente para que não seja querido, muito menos amado. Os pensamentos negativos sobre si mesmo, o medo de fazer feio diante dos outros e seu senso crítico são tão avassaladores que tudo isso termina influindo em seu comportamento. E o resultado, muitas vezes, tem o amargo sabor do fracasso.

É preciso romper este círculo vicioso em que os pequenos insucessos alimentam outros, naquele ramerrão do “não vai dar certo mesmo”. Difícil é, mas é também possível.

Técnicas de respiração ajudam a controlar os sintomas físicos.

Enfrente situações temidas – “Quem não arrisca, não petisca”. Logo, há que procurar, lenta e gradualmente, expor-se às situações que gerem ansiedade, analisando depois friamente seu desempenho e congratulando-se pelo sucesso.

Olho no olho – Converse com o maior número de pessoas possível, do pipoqueiro ao desconhecido no ônibus. Assim, experimenta-se várias situações e trabalha-se a rejeição.

Aprenda a fazer e a receber elogios – Comece uma conversa com elogios simples. Poucos resistem. E aprenda a recebê-los, evitando justificativas.

Pare de esperar o pior – Pensamentos negativos atraem conseqüências negativas e já deixam o tímido derrotado em todas as situações.

Seja menos perfeccionista – Não se leve muito a sério. Nem espere demais de você mesmo. O risco de cair do cavalo é maior. E sendo mais autêntico, não precisará fazer força para ser o que não é.

Aprenda a ser rejeitado – Não dá para agradar a todos. Nem Jesus Cristo conseguiu. Sendo assim, trabalhe o medo exagerado de rejeição.

Encontre seu próprio estilo – Nada de tentar basear-se num modelo para melhorar seu jeito de ser. Isso não funciona. Explore suas próprias qualidades e certamente atrairá atenção.

Coloque atenção no mundo externo – Desligue-se. O mundo não está preocupado em ver o que você faz. Sendo assim, preste atenção ao que o rodeia e busque desenvolver sua capacidade de interação com o meio.

Desconstrua as pessoas que o inibem – Se alguém gera muita insegurança em você, tente desconstruí-la, desidealizá-la, encarando seus erros com o mesmo rigor com que geralmente vê os seus.